23.5.17

GLOBO, MORO E PEDRO PARENTE - UMA QUADRILHA A SERVIÇO DO GOLPE E DA DESTRUIÇÃO DA PETROBRÁS

EMANUEL CANCELLA -


Quando a Globo estava de braços dados com o presidente golpista Michel Temer, o juiz Sérgio Moro prevaricou. Tanto que, na delação de Eduardo Cunha, Moro vetou a pergunta nº 34, dirigida a Michel Temer : “ Ele perguntava se tinha recebido neste mesmo endereço, fornecedores da área internacional da Petrobras e lá estava o João Henriques”. João Henrique é o operador de propina do PMDB e foi dessa reunião que, segundo ex-presidente da Odebrecht Engenharia Industrial, Márcio Faria da Silva, saiu a propina de U$ 40 milhões da para Michel Temer.

Segundo o delator, Temer participou dessa reunião e Moro, para protegê-lo, vetou a pergunta, mesmo a denúncia envolvendo a Petrobrás. Moro que diz investigar a Petrobrás, jogou uma bomba dessa para baixo do tapete (1,2) porque o temer era aliado.

Moro não apurou essa bomba da mesma forma que faz mais jogo sujo na Petrobrás, já que encobre as safadezas do presidente da empresa, Pedro Parente,  que está destruindo a empresa. O tucano Parente vende  ativos preciosos, sem licitação, contrariando as leis brasileiras, e assim vai entregando tudo para quem quer e pelo preço que ele próprio determina. Até área do pré-sal ele liquida, como o campo de Carcará, a preço de um refrigerante o barril (6).

Parente vende Suape por cerca de RS 1.2 BI, isso equivale a menos de 10% do valor  investido, que foi de R$ 9 BI. Na verdade, a petroquímica de Suape foi vendida por 5 dias de faturamento (5). Não é à toa que Parente já é réu em processo por venda de ativo desde quando ministro de FHC (5). Na verdade a Lava Jato, engabelando as massas de que acabava com a corrupção, só estava preparando o terreno, derrubando a Dilma e desmoralizado a Petrobrás, para que agora pudesse vir Parente e entregar tudo.

Nem denuncia formalizada por petroleiros, no MPF em novembro de 2016, denunciado a omissão da lava Jato sensibilizou Moro (9).

E agora que a Globo golpista quer defenestrar Temer, Moro, como sempre, apresenta-se como aliado global: “PF prende Agnelo, Arruda e operador de Temer” (3).

A Globo teve um papel fundamental na tentativa frustrada de privatizar a Petrobrás, no governo de FHC, quando saía da telinha a mensagem que comparava a  Petrobrás a um paquiderme e chamando os petroleiros de marajás. Moro também não investigou o governo de FHC na Petrobrás delatado varias vezes inclusive incluindo seu filho em corrupção na Petrobrás (7,8).

A estratégia Moro/Globo/PSDB é primeiro desmoralizar para depois entregar. Com FHC não conseguiram, pois os petroleiros não só barraram a privatização da companhia, com a maior greve de sua história, como provaram, em 2006, sua competência, desenvolvendo tecnologia inédita no mundo que permitiu a descoberta do pré-sal. Mas a Globo não desistiu tanto que , em dezembro de 2015, lançou o editorial: “ Pré-sal pode ser patrimônio inútil”.

Moro, como juiz vendido da Globo, tem múltiplas utilidades: entregar nosso petróleo aos gringos; destruir a candidatura de Lula, mesmo que seja sem provas mas com convicção; e, agora, defenestrar o golpista Temer para fazer valer a proposta da Globo _ eleições indiretas ou o golpe dentro do golpe. 

Globo, Moro e Pedro Parente, tudo a ver!

Fonte:

* Emanuel Cancella, OAB/RJ 75.300, integra a coordenação do Sindipetro-RJ e da Federação Nacional dos Petroleiros (FNP), sendo autor do livro “A Outra Face de Sérgio Moro”