1.6.17

A LAVA JATO É A MILÍCIA QUE VEIO PARA DESTRUIR A PETROBRÁS E O PT, A SERVIÇO DO PSDB

EMANUEL CANCELLA -


Peço desculpas aos leitores se estou repetitivo. Na época do Hitler, um ministro dele dizia que uma mentira repetida várias vezes, virava verdade. Aliás, ensinamento esse que nossa mídia aprendeu direitinho. Mas eu descrevo fatos, e, se os repito, é para que sejam propagados e levados ao conhecimento da sociedade para que, juntos, possamos barrar o engodo da Lava Jato que, dizendo acabar com a corrupção, na verdade veio para destruir o país, começando pelo Partido dos Trabalhadores, a Petrobrás e a classe trabalhadora. E o PT pode voltar, esse é o medo deles!

Todos os delegados da Lava Jato fizeram campanha para o tucano Aécio Neves do PSDB, inclusive chamando Lula e Dilma de antas, no blog de campanha (4).

Da Lava Jato saiu a denúncia fajuta, nas vésperas da eleição, de que Lula e Dilma saberiam da corrupção na Petrobrás (5). Aécio quase ganhou por causa disto. Logo depois o advogado do doleiro desmentiu.

Sergio Moro, chefe da Lava Jato, para desgastar a presidente Dilma, mentiu quando disse que faltava dinheiro na PF para a operação, no que foi desmentido pela própria PF (6).

A Lava Jato investiga a gestão do PT, na Petrobrás, e se acumplicia com a gestão tucana na empresa. Nunca investigou o governo tucano de FHC, na Petrobrás, apesar das inúmeras e acachapantes denúncias, muitas envolvendo o próprio filho (7,8).

Em novembro de 2016, como petroleiro e sindicalista, denunciei ao MPF a omissão da Lava Jato, diante da gestão criminosa do presidente da Petrobrás, o tucano Pedro Parente, empossado por Temer. Se essa operação foi criada justamente para investigar a Petrobrás não deveria permitir os desmandos de Parente.

Entretanto, mesmo com minha denúncia, a Lava Jato continuou permitindo o bota-fora e o MPF ainda saiu em defesa do juiz Sérgio Moro, em dezembro do mesmo ano, intimando–me sob acusação de possível crime contra a honra do juiz (9,10).

Moro e a Lava Jato blindam a gestão de Pedro Parente que está destruindo a Petrobrás, que é do povo brasileiro. Parente entrega área do pré-sal, o campo de carcará, a preço de um refrigerante o barril. E entre outras maracutaias, “vendeu” a Petroquímica de Suape pelo valor equivalente a 5 dias de faturamento (11,12). Isso sem respeitar a lei de licitação, entregando bens valiosíssimos para quem ele quer e pelo valor que ele próprio determina.

A Lava Jato recebeu mais de sete denúncias contra Aécio e escondeu todas. Se agora Aécio foi desmascarado foi por causa de outro juiz que permitiu a divulgação gravações mostrando o tucano Aécio Neves pedindo dois milhões ao dono da JBS, e com linguajar de bandido: ´”Tem que ser um que a gente mata ele antes de fazer delação (...)” (1)

Não prende Aécio nem FHC, com provas cabais, e vive perseguindo Lula, sem qualquer indício de provas, tentando desesperadamente tirá-lo da eleição de 2018, e agora parte para investigar o governo petista de Fernando Haddad, do PT em são Paulo (13). Prendeu o ex- ministro petista Antonio Pallocci, que só sai da prisão se falar mal do Lula. Diante da ameaça dos investigadores a serviço da Lava Jato, a mídia já diz que Palocci irá envolver  o nome do ex presidente Lula: “ ( ...) sem isso, não haveria acordo (... )(3).

Isso mais parece cárcere privado e coação do que justiça. E vêm mais elucubrações que a mídia tenta passar como verdades, como o tríplex, o sítio e a conta que nunca estiveram no nome do Lula; o barco sem motor, a Friboi do filho de Lula, a propriedade da OI, a piscina do Planalto e outras tantas invenções.

Como acreditar em um juiz que absolve a mulher de Eduardo Cunha, a jornalista Claudia cruz, para encobrir o envolvimento da própria esposa, Rosangela Moro, no escândalo das Apae’s (17,18)?

O Brasil não pode aceitar que um juiz de primeira instância, nem que fosse do STF, denuncie ou prenda, quem quer que seja, sem provas, como a denúncia prontamente acatada pelo Juiz Sergio Moro, vinda do procurador Dallagnol, da Lava Jato, que disse ao vivo na Globo: “Que sem provas mas com convicção Lula é o comandante máximo da corrupção na Petrobrás “(16).

A Lava Jato sabe que FHC e Pedro Parente, com provas e convicção, são os comandantes máximos da corrupção na Petrobrás. Entretanto continua a vasculhar a vida de Lula, e, como não encontra nada de irregular, acaba inventando para ver se a mídia consegue emplacar.

Fonte:

* Emanuel Cancella, OAB/RJ 75.300, ex-presidente do Sindipetro-RJ, fundador e diretor do Comando Nacional dos Petroleiros, da FUP e fundador e coordenador da FNP , ex-diretor Sindical e Nacional do Dieese,  sendo também autor do livro “A Outra Face de Sérgio Moro”