12.8.17

IMPOSSÍVEL NESTE MOMENTO A UNIDADE DOS PETROLEIROS PARA BARRAR O GOLPE E O DESMONTE DA PETROBRÁS

EMANUEL CANCELLA -

A visita ao TST, em 2007, aconteceu no mesmo dia que realizamos o peladaço, em Brasília, em frente ao Palácio do Planalto, no governo Lula, em defesa dos aposentados.
O Sindipetro-Litoral Paulista, filiado à FNP, até faz um trabalho importante realizando congressos regionais unificados, entre a Federação Única dos Petroleiros (FUP) e Federação Nacional dos Petroleiros (FNP). Inclusive, no último congresso nacional da FNP, foi aprovada a unidade entre FUP e FNP na luta para defender a Petrobrás.

Mas essa unidade acaba esbarrando no PSTU, que tem militantes valiosos no movimento petroleiro, aliados aguerridos na categoria em todo o Brasil e controlam importantes sindicatos, como o do RJ e de SE/AL. Mas, apesar do discurso, na prática, o PSTU  aliou-se ao golpe, e acaba apoiando a política criminosa de Pedro Lalau Parente e aplaude as medidas de Sergio Moro e da Lava Jato, que tudo faz para destruir a Empresa.

Leia mais na COLUNA