14.10.17

1- MOSCOU LAMENTA A DECISÃO DE TRUMP DE NÃO CERTIFICAR ACORDO NUCLEAR COM O IRÃ; 2- FUX DECIDE QUE GOVERNO NÃO PODE EXTRADITAR BATTISTI ATÉ QUE STF SE MANIFESTE

REDAÇÃO -

Putin, Xi Jinping e Rouhani.
O ministério das Relações Exteriores da Rússia lamentou a decisão do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, de não certificar o acordo o acordo nuclear iraniano.

"Nós lamentamos a decisão do presidente dos Estados Unidos de não certificar ao Congresso a implementação conscienciosa de Teerã do Plano de Ação Conjunto Global sobre o programa nuclear iraniano", afirmou o ministério em comunicado.

A chancelaria russa também afirmou que continua comprometida com a preservação e implementação do acordo e pediu para todos os participantes "fazerem o mesmo".

O vice-chanceler russo, Sergei Ryabkov, afirmou que Moscou pretende buscar a colaboração com os outros signatários do acordo nuclear e "intensificar o dialógo com os Estados Unidos":

"Agora nós vamos analisar as consequências… levando em consideração as discussões no Congresso dos Estados Unidos. Nós vamos cooperar de maneira próxima com os outros participantes do Plano de Ação Conjunto Global e, é claro, vamos intensificar o diálogo com os Estados Unidos".

Para Ryabkov, a decisão de Trump não "fortalece a confiança nos meios diplomáticos" e transforma "questões que pareciam estar fechadas e resolvidas de uma maneira satisfatórias para todos os envolvidos" em um "problema político".

O Plano de Ação Conjunto Global (JCPOA, na sigla em inglês), como é conhecido o acordo nuclear, estabelece condições para que o programa nuclear iraniano funcione com fins estritamente energéticos. O acordo foi assinado em 2015 por líderes dos Estados Unidos, Alemanha, China, França, União Europeia, Rússia e Reino Unido. (via Sputnik)
---
Saiba mais:

***
Fux decide que governo não pode extraditar Battisti até que STF se manifeste

Do G1:

O ministro Luiz Fux, do Supremo Tribunal Federal (STF), decidiu de forma liminar (provisória) nesta sexta-feira (13) que o governo brasileiro não pode extraditar o ex-ativista Cesare Battisti até que a Corte se manifeste, em julgamento marcado para o próximo dia 24.

No julgamento, os ministros do Supremo devem discutir se podem rever a decisão de 2010 do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que recusou a extradição de Battisti.

“Defiro a liminar para, preventivamente, obstar eventual extradição do paciente, até que esta Corte profira julgamento definitivo neste writ, em sessão designada para 24 de outubro de 2017”, diz Fux na decisão.