1.10.17

FILHOS DE GEPPETO

MIRSON MURAD -


Geppeto, o "pai" do Pinóquio, produziu mais filhos por essas bandas. Se não, vejamos: Quando os soldados das três forças armadas chegaram à Rocinha (eram 950 militares), o ministro da Defesa Raul Jungmann, em entrevistas, fez declarações de que a tropa ficaria naquela comunidade sem prazo para sair mas, pelo menos até 31 de dezembro. O comando militar só veio atuar por essas plagas após pedido do (des)governador Pesão que confirmou haver solicitado essa ajuda. Dois ou três dias depois, segundo declaração dessas autoridades e do secretário de Segurança do RJ, "quase" pegaram o Rogério 171, um dos objetivos, assim como pacificar a comunidade em guerra entre traficantes rivais. Rogério 171 teria trocado tiros com os militares e se embrenhado na floresta. Agora, uma semana depois, o ministro de Temer declara que a retirada é porque informações seguras atestam que o traficante não está mais na Rocinha. As autoridades fluminenses relatam a mesma coisa. O Pé Grande, inclusive, com muita pompa e circunstância declara que a PM estadual tem todas as condições de dar conta do recado. O Ministério Público quer a volta para presídios cariocas dos chefões do tráfico, prisioneiros em "spas" federais. O Pé Grande arrotou, ontem, que nosso sistema presidiário tem todas as condições de "abriga-los" por essas bandas. Então por que eles foram para Mato Grosso e outros Estados longínquos? Seria cômico se não fosse trágico esses Pinóquios de peito estufado vomitando asneiras. Me engana! Me engana que eu gosto!

---
Leia também:

O VERGONHOSO FRACASSO MILITAR NA ROCINHA

POR QUEM OS SINOS DOBRAM; LIGAÇÕES PERIGOSAS (II)