25.10.17

“INACEITÁVEL” É A POLÍCIA DECIDIR QUANDO COMEÇA OU ACABA UMA MANIFESTAÇÃO

ROGER MCNAUGHT -


No centro da cidade do Rio de Janeiro, milhares de manifestantes se reuniram ontem (24) para uma manifestação pacífica sob a palavra de ordem “inaceitável”, condenando publicamente a onda de retrocessos e desmandos dos governos nas três esferas que estão continuamente destruindo direitos adquiridos e liberdades constitucionais. A manifestação, que se iniciou na igreja da Candelária, reuniu artistas, movimentos sociais, políticos do campo progressista e jovens em direção à Cinelândia, onde músicos se apresentaram.


As milhares de vozes, que entoavam a palavra “inaceitável” a cada absurdo cometido pelo atual (des)governo ecoaram por toda a Cinelândia e adjacências enquanto jovens empunhavam bandeiras ao topo das escadarias da Câmara de Vereadores. Eis que a polícia militar – não se sabe por qual razão – interviu para acabar com um ato democrático utilizando de spray de pimenta, gás lacrimogêneo e balas de borracha contra a multidão que corria para se afastar dos disparos dos policiais.


Alguns tentaram inutilmente dialogar e suas palavras foram respondidas com jatos de pimenta no rosto, bem ao estilo da PMERJ.

Novamente a democracia está doente. E a cura depende do povo atacar essa doença.