16.11.17

1- JÔ ARREBENTA, CORINTHIANS VIRA E EM 3 MINUTOS É HEPTACAMPEÃO BRASILEIRO; 2- DAMOUS IRONIZA GLOBO: NÃO VAI TER COERCITIVA?

REDAÇÃO -

O Corinthians é heptacampeão brasileiro.


E foi no melhor estilo corintiano: na raça, com a torcida empurrando. E de virada! O time de Fábio Carille saiu atrás no placar, mas conseguiu vencer o Fluminense por 3 a 1 na Arena e confirmou matematicamente o título.

O zagueiro Henrique colocou o Flu na frente, mas Jô, agora artilheiro da competição, marcou duas vezes de cabeça para garantir o triunfo. Jadson, que entrou muito bem na partida, definiu o placar.

Assim, o time que começou o ano desacreditado chega aos 71 pontos no Brasileirão e já não pode ser alcançado por mais ninguém.

Só faltou a taça oficial, que, por questões de segurança, não esteve em Itaquera nesta quarta-feira. A festa com ela fica para o dia 25, quando o Corinthians recebe o Atlético-MG – antes, o time alvinegro ainda visita o Flamengo neste domingo.

Do outro lado da festa, o Fluminense segue com 43 pontos, quatro a frente da Ponte Preta, a primeira equipe dentro da zona de rebaixamento agora. O próximo compromisso da equipe carioca é na próxima segunda-feira, em casa, justamente contra a Ponte. (via ESPN)

***
DAMOUS IRONIZA GLOBO: NÃO VAI TER COERCITIVA?

O deputado federal Wadih Damous (PT-RJ) usou de ironia para cobrar investigação das autoridades brasileiras sobre o pagamento de propina pelo Grupo Globo por direitos de transmissão de jogos das copas Libertadores da América e Sulamericana. O caso foi denunciado à Justiça dos Estados Unidos nessa terça-feira, 14, pelo delator argentino Alejandro Burzaco (leia mais).

"Algum Marinho vai ter condução coercitiva ou prisão preventiva ou isso só vale pra petista? Pra Globo o que vale é o devido processo legal?", questionou Damous em sua conta no Twitter.

O deputado Paulo Pimenta também cobrou uma investigação como a Lava Jato sobre o esquema envolvendo a Globo. "Por que o Dr. Janot e os Golden Boys nunca abriram uma Lava Jato do esquema CBF/ Globo? Por que nenhuma investigação avançou no Brasil?", questionou Pimenta (leia mais).

O delator Alejandro Burzaco disse que, em junho de 2012, participou de um jantar no restaurante Tomo Uno, em Buenos Aires, com a presença do então presidente da CBF, José Maria Marin; do atual ocupante do cargo, Marco Polo Del Nero; e do então diretor de Esportes da Globo, Marcelo Campos.

Na ocasião, segundo Burzaco, o grupo acertou que os pagamentos de propina feitos em decorrência dos direitos de transmissão das copas Libertadores e Sulamericana — que antes eram destinados a Ricardo Teixeira — seriam divididos, dali em diante, entre Marin e Del Nero. (via 247)