10.11.17

FRENTISTAS DE TODO O BRASIL NA LINHA DE FRETE DAS MANIFESTAÇÕES CONTRA A NOVA LEI TRABALHISTA

Via FENEPOSPETRO -


A Federação articulada com os Sindicatos dos Frentistas de todo o Brasil, e representando 600 mil trabalhadores da categoria, participam hoje do 'Dia Nacional de Lutas, Protestos e Paralisações’, véspera de vigorar a perversa reforma trabalhista.

Além da manifestação dos frentistas contra as mudanças que liquidam direitos dos trabalhadores e enfraquecem suas organizações, os atos também servem para denunciar esse governo corrupto e entreguista. No Rio de Janeiro, o presidente da FENEPOSPETRO, Eusébio Pinto Neto, promove ações desde cedo, diretores do SINPOSPETRO-RJ percorrem diversos postos de combustíveis conscientizando e convocando para a grande concentração a partir das 16h na Candelária, que seguirá até a Cinelândia.

Em São Paulo, a concentração começa às 9h30 na Praça da Sé, com passeata até a Avenida Paulista. A Federação dos Frentistas de SP (FEPOSPETRO) reunirá nas manifestações aproximadamente 250 lutadores entre trabalhadores, funcionários e dirigentes dos dezesseis sindicatos e das vinte e oito subsedes dos frentistas do Estado de São Paulo.

A manifestação visa também barrar a implantação da Reforma Previdenciária em tramitação no Congresso Nacional. O ato nacional é organizado pela Frente Povo Sem Medo, Frente Brasil Popular, CUT, Força Sindical, UGT, Intersindical, CTB, CSP/Conlutas. O foco principal da luta é repudiar a retirada de direitos trabalhistas, conduzida pelo presidente Temer. Notoriamente um governo sem votos, reprovado por mais de 90% da população, que está provocando um retrocesso no país sem precedentes.

Para o presidente da FENEPOSPETRO, “O quadro conjuntural é de profunda instabilidade política, o atual governo está comprometendo o futuro da nação, destruiu a CLT e conquistas de décadas”, afirmou. “Precisamos ter êxito nessas manifestações, temos que sensibilizar e reunir, de forma mais ampla, setores organizados da sociedade (igrejas, estudantes, associações de advogados e todos os que estão na mira da desregulamentação do trabalho, que abre espaço para condições análogas à escravidão), isso será decisivo para os rumos da luta”, completou o dirigente.

Diante desta situação calamitosa, todos os Sindicatos dos Frentistas do Brasil e milhares de lutadores da categoria participam em suas regiões e cidades do ‘Dia Nacional de Lutas’, véspera da data em que passará a vigorar a reforma trabalhista, que liquida direitos dos trabalhadores e visa enfraquecer as organizações sindicais. Seguiremos lutando, esse é o único caminho possível para derrotar o governo Temer e reverter os seus ataques. Nenhum Direito a menos!

* Daniel Mazola, assessoria de imprensa FENEPOSPETRO