30.11.17

QUEM VAI INVESTIGAR A GLOBO E A POLICIA FEDERAL, SÃO ELES MESMOS?

EMANUEL CANCELLA -


Na Polícia Federal, sumiram duas malas do Geddel Vieira, parte dos R$ 51 milhões. Não foi só a mala, com certeza sumiu a mala e o dinheiro. O Globo agora diz que as malas não sumiram (4,5). Quem vai investigar o sumiço das duas malas na PF é a própria polícia?

O Globo, quando foi acusada pela justiça de Nova York, ela mesmo se julgou dizendo que não recebeu dinheiro de propina: “Globo investiga a Globo e conclui que é inocente” (6). Estamos esperando laudo do MPF do Rio que foi solicitado pela PGR, Raquel Dodge (7).

Segundo o Diretor-Geral da PF, Fernando Segovia, mala não pode servir de prova contra o golpista Mishell Temer, então também não prova nada contra quem surrupiou a mala na PF, até porque “A lei é para todos! (1)”

O mote do golpe foi o combate à corrupção! Justiça seja feita, os golpistas modernizaram a corrupção, agora o dinheiro da corrupção no Brasil vem em malas e, quando depositado em conta, é no exterior.

Para derrubar Dilma, dando aparência de legalidade, usaram as “Pedaladas Fiscais”, mesmo assim não conseguiram provar nada! E ainda descobriram que 16 governadores tinham feito as pedaladas das que Dilma fora acusada.(2,3). Ficou até provado que Dilma não fez as “pedaladas” e foi afastada, mas nada aconteceu com os 16 governadores que realmente praticaram as chamadas pedaladas fiscais. E ainda, nosso Congresso Nacional transformou pedaladas em lei. Pedalada não é mais crime!

Diante do exposto, fico preocupado pois se mala de dinheiro do Mishell Temer não é crime e as duas malas sumidas na PF, com certeza será como filho feio, não vai ter pai, então chego à seguinte conclusão:  o Geddel Vieira , também conhecido como “Boca de Jacaré”, para se defender, possa querer transformar em lei que mala de dinheiro não é crime.

E poderá ser usada a máxima do chefe da PF que, se mala não é crime para o Mishell Temer e não é para PF, então Geddel poderá alegar que para ele também não deve ser , afinal  A lei é para todos!

Fonte: