5.2.18

SE MORO E BRETAS NÃO DEVOLVEREM O AUXÍLIO MORADIA, TINHAM QUE IR PRESOS!

EMANUEL CANCELLA -


Na Petrobrás, empresa em que trabalhei por 42 anos, quando alguém recebe algum provento indevido tem que devolver, muitas vezes até parcelado, como faculta a lei, para não penalizar tanto o funcionário que, na maioria das vezes, foi vítima de erro do contabilidade.

Lembrei de 1974, na Replan, onde trabalhei por dois anos, do caso do funcionário Macário, auxiliar de serviços gerais, quando a contabilidade da refinaria de Paulínia (Replan), depositou indevidamente na conta do funcionário o salário de um gerente. Macário devolveu parcelado o dinheiro.

Leia mais na COLUNA