21.3.18

CASO MARIELLE: ÀS VÉSPERAS DE COMPLETAR 1 SEMANA DO CRIME, POPULAÇÃO EXIGE JUSTIÇA

ROGER MCNAUGHT -


Rio de Janeiro - Após 6 dias do bárbaro crime que chocou o planeta, onde a vereadora Marielle Franco e o motorista Anderson foram brutalmente assassinados de forma covarde no centro do Rio de Janeiro, a mobilização popular se mostra cada vez mais vigorosa e contundente na busca por respostas e justiça.

Marielle, que era uma árdua defensora dos direitos humanos e militante das causas sociais, foi assassinada e os indícios apontam em várias direções podendo implicar agentes da segurança pública inclusive – o que não seria novidade alguma para a população fluminense.

Diante das informações desencontradas fornecidas até agora pelas autoridades e a desconfiança de que a investigação pode não revelar os autores do crime, a população iniciou uma onda de manifestações volumosas, tomando todas as ruas do centro do Rio e algumas áreas periféricas logo após o assassinato de Marielle e Anderson e nesta terça-feira 20 de março não foi diferente.


Uma manifestação reunindo milhares de pessoas tomou conta do centro, da Candelária à Cinelândia, com gritos pedindo por justiça e pelo fim da violência contra pessoas negras e pobres no Rio de Janeiro.

Durante o trajeto via-se a dor estampada nos olhos de muitos presentes e informalmente o vereador Leonel Brizola (colega de bancada da vereadora Marielle pelo PSOL) destacou a importância de manter viva toda a luta e as pautas defendidas por Marielle.

Somando-se ao apelo popular, uma orquestra se apresentou tocando desde músicas eruditas até clássicos dos movimentos populares como a “Internacional Socialista” e canções de luta contra o regime militar.  As vozes ouvidas eram não apenas de artistas mas de toda a multidão que ocupava o centro do Rio em um misto de dor, revolta e reafirmação dos compromissos com a luta popular.


Continuaremos junto aos trabalhadores cobrando respostas e justiça, e que não mais se mate nossa gente.