19.3.18

NEGOCIAÇÃO ENTRE FRENTISTAS DE SP E PATRONAL SEGUE SEM ACORDO

Via FENEPOSPETRO -

Realizada nesta sexta-feira (15), na sede da patronal (Sincopetro), na capital paulista, terminou sem avanços a 2° reunião da Campanha Salarial que engloba os dezesseis sindicatos da categoria no Estado de São Paulo.


Na ocasião, os sindicalistas manifestaram desacordo à proposta apresentada pelos patrões, que inclui aumentar em 1,16% os salários (percentual abaixo dos índices que regulam os reajustes do período); eliminar da convenção coletiva a obrigatoriedade do vale-refeição, hoje em R$ 17,50; reduzir para 30 minutos o intervalo de almoço; fixar em 12×36 a escala laboral; redefinir os feriados como dia normal de trabalho, entre outros retrocessos que pioram a vida dos trabalhadores, a exemplo da Terceirização.

“Vamos lutar para manter o nosso legado de jamais ter fechado acordo sem ganho real de salário, ou permitido retrocessos como a perda de direitos coletivos. Se necessário for, articularemos uma grande mobilização”. A defesa pela valorização salarial da categoria foi feita por Luiz Arraes, presidente da FEPOSPETRO, entidade que unifica a negociação.

Entendimento – Durante o acalorado debate, Francisco Soares de Souza – presidente do SINPOSPETRO-Campinas e vice da Federação Nacional dos Frentistas (FENEPOSPETRO) – destacou que as condições colocadas pelos patrões inviabilizam qualquer possibilidade de entendimento negocial. Entretanto, afirmou acreditar que “a capacidade de diálogo, construída entre as entidades ao longo de quase 30 anos, permitirá, ao final, desfecho condizente com o grau de representatividade que desfrutam ambos, e com as reais necessidades dos trabalhadores”.

Uma nova proposta será formulada pelos patrões até o dia 28 de março. Seu conteúdo será debatido durante a 3° rodada de negociações, agendada para o dia 3 de abril, às 14 horas, no Sincopetro. (com informações da assessoria da Fepospetro - Leila de Oliveira /Foto: Vanildo Custódio)

* Daniel Mazola, assessoria de imprensa FENEPOSPETRO