14.5.18

1- POLÍCIA NÃO TEM DÚVIDAS SOBRE PARTICIPAÇÃO DE MILICIANOS NA EXECUÇÃO DE MARIELLE; 2- MARCELO SICILIANO SUSPEITO NO CASO E COM LAÇOS NAS MILÍCIAS POSSUÍA R$ 410 MIL EM DINHEIRO

REDAÇÃO -

Vereador Marcello Siciliano chama de ‘factoide’ denúncia sobre morte de Marielle Franco. Foto: Reprodução/G1.
Passados exatos dois meses após as execuções da vereadora Marielle Franco e do motorista Anderson, os investigadores responsáveis pelo caso não têm duvidas da participação de políticos, milicianos, policiais e ex-policiais com os homicídios. Segundo o portal G1, o que antes eram apenas linhas de investigação paralelas agora convergem para uma única hipótese.

De acordo com um testemunha, que também já teria feito parte de uma milícia no Rio, pelo menos 10 pessoas estariam ligadas aos crimes, incluindo policiais militares da ativa, reformados, além do ex-PM Orlando de Oliveira Araújo, que mesmo estando preso da cadeia uma milícia na Zona Oeste da capital fluminense, e do vereador Marcello Siciliano (PHS). Araújo e o parlamentar foram apontados por ele como mandantes dos homicídios.

Apesar da autoria do crime ainda não ter sido identificada, os investigadores atribuem as causas a atuação política da vereadora. Os indícios da participação do envolvimento de milicianos estariam evidenciados nos cuidados tomados pelos executores em não serem vistos enquanto seguiam Marielle, na precisão dos disparos efetuados contra o carro em movimento e na escolha do local onde aconteceu a execução: um ponto cego, fora do alcance de câmeras de segurança. (via Rio247)

***
Vereador suspeito no caso Marielle e com laços nas milícias possuía R$ 410 mil em dinheiro

De Gabriel Mascarenhas na Coluna Radar da Veja.

Suspeito de ser o mandante do assassinato de Marielle Franco, o vereador Marcelo Siciliano declarou ao TSE nas últimas eleições que possuía 410 000 reais em dinheiro vivo.