13.5.18

DIA DAS MÃES, UMA REFLEXÃO SOCIALISTA

ILUSKA LOPES -

Neste Dia das Mães é preciso lembrar que só integrando as lutas de mulheres e homens, mães e filhos, seremos capazes de destruir o poder do capital, abolir as classes e de vencer os desafios colocados pela vida.


Vivemos a época da globalização imperialista, da integração monopolista, da supremacia de uma poderosa oligarquia financeira internacional, cujos tentáculos abarcam todo o planeta. A aplicação planetária das fórmulas neoliberais, que conhecemos bem, é o sinal mais evidente da existência de um governo dos governos, acima de povos e nações. Os princípios da soberania e da auto-determinação foram já redefinidos: tornaram-se soberania e auto-determinação do capital financeiro. Nesta nova ordem, os povos e países que a contestaram foram catalogados como pertencentes ao “Eixo do Mal”, e constam de uma lista de espera pela ira do senhor... a guerra imperialista.

A entrega da soberania pelos governos nacionais, uma vez que os torna ainda mais incapazes de responder às demandas de seus povos, implicará a utilização, com freqüência crescente, da repressão e da fraude contra as trabalhadoras e os trabalhadores, através da polícia e da mídia. No capitalismo é este o futuro que nos espera!

Companheiras! A luta das mãe e mulheres só pode ser uma luta revolucionária, uma luta contra os monopólios, contra o imperialismo e suas guerras. Reafirmamos as bandeiras levantadas pelas mulheres na II Internacional Socialista (1889-1916): pelo direito à creche, a salários iguais, pelo direito de decisão sobre o nosso corpo (aborto legal e seguro) e pelo fim da violência doméstica e sexual. A nossa luta é a luta de todas as mulheres do mundo, a nossa luta é internacional. A emancipação plena da mulher só será alcançada na sociedade socialista.

Nossa solidariedade a todas às mães e mulheres trabalhadoras de todo o mundo! Esta é nossa homenagem a todas vocês.

FELIZ DIA DAS MÃES!!!

* Com informações do Coletivo Feminista-Classista Ana Montenegro e Revista Cult.