9.7.18

FALTAM EXATAMENTE TRÊS MESES PARA A ELEIÇÃO, SEM CANDIDATOS VERDADEIROS


HELIO FERNANDES -


É evidente que estou falando em qualidade e não em quantidade. Apesar das desistências, do abandono das candidaturas, ainda estão no palco, 12 personagens, que se julgam imprescindíveis á realização do primeiro espetáculo, em 7 de outubro. Todos sabem que é obrigatório fazer essa ressalva, pois o segundo turno é obrigatório. Apesar da fragilidade dos presidenciáveis, vários estão em plena fase de conversação e coordenação.

Existem cidadãos que disputarão pela terceira vez, (Alckmin) não tem a menor chance, não consegue aglutinar o seu partido, o PSDB, desmoralizadissimo. Devia proibir que colocassem seu nome em pesquisas, que apontam o  retrocesso eleitoral.

Um candidato que disputa pela primeira vez (Meirelles), nunca fez vida partidária. Está tentando o apoio do PMDB, patrocinado pelo presidente corrupto  e usurpador, o que dificulta ainda mais a sua entrada no partido. Só uma possibilidade: como está fazendo um exibicionista festival financeiro eleitoral,  vem  seduzindo candidatos a deputados e senadores, oferecendo contribuições eleitorais. Não tem a menor chance.

O DEM se transformou num partido singular e estranho. Ha 3 meses revelei que sua maior liderança (Rodrigo Maia) decidira deixar de ser presidenciável, preferindo a reeleição, certíssima. Só que o presidente da Câmara não confirma que desistiu de ser presidenciável, se transformou no grande coordenador da campanha eleitoral. Conversou longamente com os Socialistas, sem sucesso. Agora se volta para um candidato, com alguma  chance.

As ligações começaram agora. Esse candidato, que tenta o Planalto pela terceira vez (Ciro Gomes), tem vasta experiência política e eleitoral, começando como governador do Ceará, muito moço. Se tiver o apoio direto do DEM, na certa melhoraria sua posição, talvez chegasse ao segundo turno e mais nada.

O presidenciável que vencerá o segundo turno, mesmo que não vença o primeiro (Marina Silva), terá que ultrapassar as tremendas anomalias do sistema. Ela disputa pela terceira vez. Sem partido, sem recursos, sem concessões, teve 20 milhões de votos em 2010, 19 milhões em 2014, não deu para ganhar. Ficou em terceiro, teve que enfrentar as "potencias" financeiras. Agora, qualquer que seja o resultado de 7 de outubro, ninguém ganha dela na segunda votação, no final de novembro ou inicio de dezembro.

PS- O que chamei de anomalias do sistema, tem muitas faces. Vou citar as duas mais importantes.

PS2- A conspiração judiciária contra Lula, transformando-o em inelegível. Ainda não é definitivo. No Brasil surrealista de hoje, aconteça o que acontecer, não rima com credibilidade, dignidade, moralidade, solidariedade.

PS3- O espantoso número do NÃO VOTO: 59% do eleitorado. Está nas mais diversas pesquisas. Como os inscritos são 146 milhões de cidadãos, por volta de 80 milhões não querem compactuar com o que está aí. Ou não perceberam nem se convenceram que a grande solução para o país, é a participação, o voto lúcido, desinteressado, refletido, nesses 3 meses que faltam.