17.7.18

REMAR E PESCAR

MARCELO MÁRIO DE MELO -


A vida não é pura e sagrada. A vida é cheia de coisa ruim. A vida tem mijo, merda, ramela, catota, caspa, creca, sangue, pus, corrimento, catinga de sovaco, de arroto e de peido, lama podre, poluição na terra, nas águas, na sociedade e na cabeça das pessoas.

A vida tem muita ruindade entranhada e todo mundo carrega uma cota. Mas a vida tem também o avesso de muita coisa boa.

A grande aventura da vida é a gente aprender a remar e pescar no mar dessa mistura. Pescando até coisa boa escondida no que não presta. Porque da merda se faz estrume. Às vezes temos de remar tampando o nariz. Às vezes voltamos sem ter pescado nada. Mas mar é mar. Maré passa. E a gente retorna.

A vida é Mar. É preciso saber reMar e pescar nela. A vida é impura e misturada. Vida boa é vida pescada. É essa a Mar-avilhação da vida.

***
ESTRELAS

A estrela expande e afirma o seu brilho
nas raias da grandeza que detém
sem olhos de inveja e arrogância
sem disputar espaço com ninguém.

Só ilumina e assim se cumpre
olhando aquelas acima e além
e outras menores todas lado a lado
no pleno empenho de iluminar bem.

Os olhos na fronteira do infinito
uma estrela a outra não estranha
nem faz esforço para alguém lhe ver.

Quem entra em guerra para acontecer
porque o brilho próprio não entranha
é asteroide e meteorito.