13.8.18

BANDEIRANTES: DEBATE MUITO BEM ORGANIZADO, CONDUZIDO, MAS CHATÍSSIMO

HELIO FERNANDES -


A culpa foi dos participantes, mais interessados em se preservar do que debater. 8 supostos presidenciáveis, apenas 3 tendo alguma coisa para transmitir. 2, já se sabia, Marina e Ciro. O terceiro, a grande surpresa da noite, Boulos, do PSOL. O único que se mostrava disposto a debater com competência, disposição, convicção.

Aproveitou todas às vezes em que teve a palavra, se destacou com simplicidade, clareza, conhecimento. Usou o tom certo, se expressa muito bem. Como nesse tipo de debate, os presidenciáveis podem escolher com quem querem duelar, os adversários passaram a fugir dele, que só tinha o próprio tempo.

Marina, como sempre, discreta competente, elucidativa. Ciro, com bastante conhecimento, mas exagerando nas promessas de realizações. Como na garantia de que pagará os 63 milhões que alegou serem as dividas dos brasileiros. Mas não revelou de onde viria o dinheiro.

Duas surpresas. 1- O retraimento de Bolsonaro. Pouco acionado, ficou satisfeitíssimo, se exibiu para o seu eleitorado. Afirmou que o melhor ensino do Brasil é o militar. Prometeu construir Escola Militar em todos os Estados. Sendo a maior de todas em SP, no Campo de Marte.

O presidenciável mais acionado, derrotado e ridicularizado, foi Alckmin. Todos queriam debater com ele. O Boechat teve que advertir que pelo regulamento aprovado por todos, o ex-governador esgotara seu limite de interrogações. Mas nas vezes em que falou, mostrou a razão de ser conhecido como "picolé de chuchu".

Ninguém será eleito, por causa desses debates. Mas não precisava ser Tão monótono.

PS- Existem dois tipos de debates. O da Globo News, com 5 presidenciáveis, em 5 dias. Vários jornalistas da "casa", tentando emparedar um presidenciável de cada vez. Insucesso total, não continuaram.

PS2- O da Bandeirantes, com possibilidade de enfrentamento verdadeiro, entre os presidenciáveis. Com exceção do Boulos, os outros só estiveram presentes fisicamente. Ausentes em matéria de participação.

BOLSONARO, DESMASCARADO PELA ÉPOCA, O QUE A RODA VIVA NÃO SOUBE DESVENDAR

Seu passado e seu presente, projetam um presidenciável assustador. Ele mesmo confessa: "Respondo a vários processos, nenhum por corrupção".


Parece verdade. Atacou solertemente uma mulher deputada. Em plena Câmara, fez um discurso que pretendia vibrante, exaltando o covarde torturador, coronel Ustra. Mas isso não era o máximo.

Sua vocação e determinação, e o uso e abuso pela violência baseada no fato de ser militar de origem, notórias. Na entrevista ao programa Roda Vida, um jornalista independente, levantou uma historia de violência, com mortes (varias) e o entrelaçamento dele, com o então coronel Linha dura, Nilton Cerqueira.

Bolsonaro não respondeu, ficou por isso mesmo. Hoje, na revista Época que está nas bancas, a historia é contada minuciosamente. Incluindo a foto de um homem que assaltou a moto de Bolsonaro, foi preso, e no dia seguinte, apareceu morto, "suicidado".

PS- O governador era Marcelo Alencar, que teve a audácia, de nomear Nilton Cerqueira, secretário de Segurança.

PS2- E teve 2 filhos corruptissimos. Um deles nomeado para o Tribunal de Contas, afastado por excesso de corrupção.

O TRIPLAMAMENTE MENTIROSO MEIRELLES

No debate da Bandeirantes, o campeão da desfaçatez. Mentiu de ponta a ponta desde os tempos do Banco de Boston. Mentiu sobre os juros do Banco Central, mentiu sobre a passagem pelo cargo mais importante da JBS, dos bandidos irmãos Batistas, foi lá que conheceu o então vice Temer, que fora negociar com sucesso, uma doação de 50 milhões para o PMDB, presidido por ele.

Antes, presidindo o BC, deixou os juros em 14%. Agora no debate, garante: "Como presidente reduzirei os juros,desses absurdos 6,5%". Foi de mentira em mentira até o fim. A sorte, é que ele não tem uma possibilidade em um milhão de se eleger. A desgraça, é que todos são igualmente ruinosos.