22.11.18

CENTRAIS REALIZAM AÇÃO NACIONAL DE CONSCIENTIZAÇÃO CONTRA A REFORMA DA PREVIDÊNCIA

REDAÇÃO -


Em ação nacional de conscientização que faz alerta sobre os perigos caso a Reforma da Previdência de Temer/Bolsonaro seja aprovada, as centrais sindicais, junto com o conjunto dos sindicatos, federações e confederações, realizaram nesta quinta (22) o “Dia Nacional de Reflexão e Mobilização em defesa da Previdência e da Seguridade Social”, com assembleias, diálogo nas ruas com a população e panfletagem nos locais de trabalho, praças públicas e ambientes de grande circulação.

“A ideia é mostrar ao trabalhador e trabalhadora o que esconde essa reforma. Ela não só acaba com a aposentadoria, ela condena milhões a uma vida de miséria e sufocará a economia de mais de 4 mil municípios do país”, alerta o secretário de Previdência, Aposentados e Pensionistas da CTB, Jadirson Tadeu.

Para o presidente nacional da CTB, Adilson Araújo, abandonar um modelo coletivo de financiamento por um individual, como é o caso da capitalização da Previdência, colocaria em risco a sobrevivência econômica de mais de quatro mil municípios que vivem dos benefícios previdenciários. “Está claro que essa é a demanda do mercado e daqueles que financiaram e apoiaram o golpe, por isso insistem na pauta”, ressalta. 

O próximo dia 26 também será de mobilização. Em protesto contra a ameaça do presidente eleito em extinguir o Ministério do Trabalho, as centrais realizam ato em frente ao órgão e em todas as Superintendências Regionais do Trabalho espalhadas pelo Brasil. Além de denunciar a proposta de reforma da Previdência. 

Campanha permanente - Construído pelo Fórum das Centrais (CTB, CSB, CUT, Força Sindical, Intersindical, CSP-Conlutas, NCST, UGT e CGTB), a ação desta quinta é o gatilho para Campanha Permanente em Defesa da Previdência lançada no último dia 12 de novembro. Na oportunidade, um documento com os princípios gerais para a garantia da universalidade e do futuro da Previdência e da Seguridade Social também foi divulgado pelas entidades.

Adilson Araújo salienta a centralidade da pauta e destaca que o diálogo e orientação na base, bem como com a sociedade de maneira geral, será a chave para barrar a proposta que ameaça o maior sistema de distribuição de renda do mundo.

“O empenho de todos e todas será fundamental para barrar qualquer proposta que acabe com a nossa aposentadoria ou que fragilize nossa Seguridade Social. Logo, daqui pra frente a orientação é: dedicação total na realização de assembleias, diálogos, panfletagens. Nosso objetivo deve ser sempre o de esclarecer a população sobre os riscos que a proposta de Temer/Bolsonaro representa para os nossos direitos e nosso povo”.

Fonte: Portal CTB