17.12.18

1- APÓS CRISE DA AVIANCA, GOVERNO LIBERA 100% DE CAPITAL ESTRANGEIRO EM AÉREAS; 2- FUTURO CHANCELER DE BOLSONARO QUER MUDAR CURRÍCULO E PROFESSORES DO INSTITUTO RIO BRANCO

REDAÇÃO -

Depois de várias tentativas frustradas de aprovar um projeto de lei no Congresso sobre o tema, o presidente Michel Temer assinou nesta quinta-feira, 13, com o aval do próximo governo, uma medida provisória liberando que investidores estrangeiros tenham fatia de até 100% de empresas aéreas brasileiras. O limite, até agora, era de 20% do capital. As ações das aéreas reagiram positivamente à medida, com o papel da Gol subindo 5,26%, uma das maiores altas da Bolsa.



A medida foi editada dois dias após a Avianca – quarta maior aérea do País – pedir recuperação judicial, com débitos acumulados com aeroportos, prestadores de serviço e donos das aeronaves que arrenda para poder operar. O governo, no entanto, descartou a relação entre a medida e a situação da Avianca. Segundo o ministro da Casa Civil, Eliseu Padilha, a medida equipara o tratamento do setor ao de outros segmentos, como o de telefonia. “A empresa tem de ser brasileira, mas a origem do capital poderá ser inteiramente estrangeira”, disse.

Para fontes do setor, a conexão com os transtornos da Avianca é clara, uma vez que a discussão sobre o capital estrangeiro se arrastava há anos. Segundo apurou o Estado, isso não quer dizer que a Avianca possa encontrar um investidor de forma imediata, dada sua complexa situação financeira.

O ministro do Turismo, Vinicius Lemmetz, disse que a medida pode evitar uma “crise sistêmica” do setor, que seria gerada pelos problemas da Avianca. Com a MP, disse o ministro, a Avianca poderá se capitalizar sem ser na “bacia das almas”.

Procurada, a Avianca não comentou a edição da MP. No entanto, German Efromovich, sócio da holding que controla a Avianca Brasil, afirmou à Reuters que está negociando injeção de capital na companhia. Ele classificou a liberação da participação estrangeira como “uma boa notícia”. A empresa tem pressa, pois a Justiça, ao aprovar seu plano de recuperação, deu 30 dias para ela negociar com os donos de suas aeronaves.

O mercado vê a Gol como a empresa que mais tem a lucrar com a medida – na quinta-feira, as ações da companhia dispararam. Com a nova regra, a expectativa é de que a americana Delta aumente sua participação na empresa. Hoje, ela detém cerca de 9,5% do capital da Gol. Há dois meses, a Delta manifestou a intenção de ampliar essa fatia, embora não tenha dado um prazo para isso ocorrer. (fonte: UGT/Estadão)

***
FUTURO CHANCELER DE BOLSONARO QUER MUDAR CURRÍCULO E PROFESSORES DO INSTITUTO RIO BRANCO

A Coluna de Lauro Jardim no Globo informa que não se deve esperar mais do mesmo no Itamaraty de Jair Bolsonaro.

De acordo com a publicação, Ernesto Araújo está planejando uma grande reforma no Itamaraty, que deixará de ter nove subsecretarias. Passará a ter seis.

O Instituto Rio Branco será reduzido, e seu corpo de professores e currículo, alterados, completa o Jornal O Globo.