2.12.18

A FITA QUE SUJA A LAVA JATO E OS CORRUPTOS DE ESTIMAÇÃO DA OPERAÇÃO: TEMER, FHC, SERRA E PEDRO PARENTE

EMANUEL CANCELLA -


MiShell Temer, mesmo já indo para 3ª denúncia de corrupção, conseguiu articular no Congresso Nacional a lei que, em impostos, isenta em um trilhão de reais as petroleiras estrangeiras. A mais beneficiada a Shell (1,2,3). E a Lava Jato calou-se!

Enquanto Temer faz a alegria das multinacionais de petróleo, cinco estados brasileiros não têm dinheiro para pagar o décimo terceiro salário dos funcionários (15).

A Lava Jato prende Lula sem provas, mas com convicção, segundo as palavras do denunciante Deltan Dallagnol, ao vivo, na Globo: “Não tenho provas mas convicção de que Lula é o comandante máximo da corrupção na Petrobrás “(4).

A lava Jato prendeu Lula num claro intuito de impedir sua candidatura, que segundo pesquisas do Ibope, poderia ganhar as eleições no primeiro turno (5).

Entretanto nem sequer investiga o ex-presidente tucano, FHC, várias vezes denunciado em corrupção na Petrobrás, em algumas, com o próprio filho. E FHC não seria só na convicção, pois há inequívocos indícios de enriquecimento ilícito, como apartamento de Luxo em Paris e Nova York e fazenda com aeroporto no Brasil (6,7,9). Em tom de deboche, FHC chega a confessar em seu livro, Diários da Presidência,  que havia corrupção na Petrobrás em seu governo (8). E mesmo assim, silêncio abissal da Lava Jato!

O mesmo tratamento omisso dado a Temer e FHC é também dado ao senador tucano José Serra. Este, quando candidato à presidência, derrotado em 2009, foi denunciado pelo Wkleaks ao trocar correspondência com a petroleira americana Chevron, então prometendo favores à petroleira em prejuízo da Petrobrás e do Brasil (10).  Serra não pode cumprir a promessa porque foi derrotado, mas, depois da derrubada da presidenta Dilma, Serra aprovou, no Congresso Nacional, a lei 4567/16, que é exatamente o que prometera a Chevron. Apesar disso, a Lava Jato nunca investigou Serra.

Também com o tucano Pedro Parente a omissão. Se a lava Jato combatesse a corrupção, como diz, Pedro Lalau Parente nem poderia ser presidente da Petrobrás, já que Pedro Parente é réu na Petrobrás desde 2001, quando dera um rombo de R$ 5 BI na em venda de ativos (12).

E Pedro Parente vem para Petrobrás não é para limpar seu nome foi para chafurdar ainda mais. Entre tantas imoralidades na Petrobrás,  em sua gestão a Petrobrás pagou ao banco JP Morgan R$ 2 BI de um empréstimo que só venceria em 2022. E Pedro Parente é sócio do banco (11).

E o mais grave é que a direção da Petrobrás patrocina campanha milionária de publicidade na mídia exaltando o trabalho da Lava Jato, dizendo que a Petrobrás foi vítima da corrupção (13). A publicidade só não diz que os principais picaretas da Petrobrás, Temer, FHC, Serra e Pedro Parente estão muito bem protegidos pela Lava Jato!

A direção da Petrobrás tinha que patrocinar o filme que mostra como a Lava Jato destruiu a economia nacional em poucos meses. Enquanto isso não acontece, veja a fita aqui (14)

Fonte: