27.2.19

SINDICATO CONVOCA REUNIÃO PARA DISCUTIR FECHAMENTO DA SEDE DA PETROBRÁS EM SP

REDAÇÃO -

A Petrobrás atendeu ao pedido do Sindicato dos Petroleiros no Estado de São Paulo (Sindpetro Unificado) e recebeu os dirigentes na segunda-feira, na sede do Edise, para discutir a situação da transferência dos trabalhadores do Edisp para o Rio de Janeiro. Estiveram presentes à reunião o coordenador geral do Unificado, Juliano Deptula, os diretores Felipe Grubba e Alexandre Castilho e o coordenador nacional da FUP, José Maria Rangel.


Durante a reunião foi reafirmada a disposição da Petrobrás de fechar o Edisp e realocar os trabalhadores (mais de 400 empregados próprios), mas deixou-se em aberto a possibilidade de uma parte do efetivo continuar em São Paulo em outro local. “O setor de Relações Sindicais se comprometeu a manter a direção do Unificado e da FUP informada sobre os próximos passos e disse estar aberto ao diálogo, por isso muito nos estranhou a reunião ocorrida em São Paulo, convocada pelo Gex, sem que a direção sindical fosse avisada”, afirma Alexandre Castilho.

Castilho se refere a uma reunião ocorrida no Edisp, na mesma segunda-feira. O Sindicato recebeu relatos de que a tal gerência quis impor um clima de terror entre os trabalhadores, dizendo que a empresa não tem mais interesse no refino, que muitas unidades de São Paulo serão fechadas, que haverá enxugamento de pessoal e quem não estiver no Rio de Janeiro não tem garantia nenhuma. Ou seja, enquanto na frente dos dirigentes sindicais, representante da Petrobrás se compromete ao diálogo e busca de soluções menos traumáticas, pelas costas, a Gerência Executiva ameaça diretamente os trabalhadores. “Todos receberam a notícia com indignação”, informa Felipe Grubba.

Para discutir essa situação, o Unificado convoca uma SETORIAL EMERGENCIAL para esta quarta-feira, dia 27, às 13h30, na sede do Edisp e convida a todos a participarem e construir coletivamente uma alternativa a mais esse ataque.

O que já foi feito - Desde que a notícia do fechamento do Edisp surgiu, o Sindicato participou de duas reuniões com as gerências do Rio (que ocorreram em São Paulo), convocou uma reunião setorial, que contou com mais de 130 trabalhadores, quando estiveram presentes representantes da CUT Nacional e Danilo Silva, do Conselho de Administração, que colocou o mandato à disposição da luta dos edispianos. No mesmo dia, a direção do Unificado encaminhou ofício solicitando a reunião que ocorreu nesta segunda e chamou a Federação dos Petroleiros para estar junto e ser a ponte com a alta direção da empresa na busca de soluções.

Fonte: CUT