6.3.19

MANGUEIRA É A GRANDE CAMPEÃ COM ENREDO EM QUE CRITICA A HISTÓRIA OFICIAL; ESTÁCIO DE SÁ É A CAMPEÃ DO GRUPO DE ACESSO

ALCYR CAVALCANTI -

"Deixa a gente contar, a história que a história não conta
O avesso do mesmo lugar, na luta é que a gente se encontra"
(Samba enredo Mangueira 2019)


A Estação Primeira da Mangueira foi a grande campeã do Carnaval 2019 com seu enredo crítico, "História para ninar gente grande" que faz uma outra versão diferente da história oficial. A comemoração na quadra, o Palácio do Samba, foi às escuras devido a mais uma queda de energia, os mangueirenses comemoraram na escuridão, mais um teste para desafiar a paciência da nação mangueirense.  A escola do Morro da Mangueira conseguiu seu vigésimo título e  foi seguida pela Viradouro de Niterói, com a Vila Isabel em terceiro. A Imperatriz Leopoldinense e a Império Serrano foram rebaixadas para o Grupo de Acesso que foi vencido pela Estácio de Sá. O Carnaval 2019 foi um sucesso contra tudo e contra todos. Milhares de turistas de todo o planeta se divertiram pra valer ao som das marchinhas, sambas e outros ritmos menos votados engordando os cofres quase raspados do município. Mesmo assim em um repente de um misto de raiva e despeito o "bispo" afirmou em alto e bom som que não vai dar nem mais um centavo sequer para a Folia de 2020. O prefeito detesta o Carnaval e como de hábito sumiu da Folia e tentou impedir a alegria de um povo torturado durante um ano.


Tentativas de impedir a realização do desfile no Sambódromo horas antes do desfile, na sexta feira, proibição do desfile de dez blocos de embalo há uma semana da abertura do Carnaval foi um teste de paciência para os cariocas. Quando tudo parecia resolvido, um temporal inclemente desabou sobre os foliões na sexta, no sábado e no domingo horas antes do desfile na Passarela do Samba e  atingiu também muitos blocos de embalo como o Simpatia que teve de interromper seu desfile por causa do aguaceiro que caiu em toda a cidade A nota destoante ficou por conta do bloco da funkeira Lumilla que levou mais de milhão de pessoas ao centro da cidade, mas que terminou com uma grande pancadaria dissolvida pela Policia Militar ao som de bombas de gás e cassetetes pra todo o lado acabando com a festa. Moral da história a funkeira teve de terminar a festa que teve um saldo de mais de 150 feridos e algumas prisões. Para não fugir a uma orientação esdrúxula totalmente alheia aos telespectadores a TV hegemônica insistiu em não transmitir as primeiras escolas a desfilar e tendo ainda o prazer em noticiar que a transmissão de desfile começaria às 21h30. Tremendo engano ludibriando milhões. Tudo isso para exibir a novela das nove e o BBB, no fundo uma tremenda bosta, mormente em dia em que teria a obrigação de transmitir todas as escolas que iriam desfilar.

Apesar de tudo foi o carnaval da superação onde cada um se divertiu como pode vencendo as dificuldades e a má vontade dos governantes que botaram a boca no trombone atingindo principalmente o "bispo" Crivella e o recém empossado Jair Bolsonaro.