3.3.19

O PLANO DE GOLPE NA VENEZUELA PREVÊ SEGUIDOS CRIMES DE LESA HUMANIDADE

ANDRÉ MOREAU -


As ações de sufocamento da República Bolivariana da Venezuela, promovidas por militares, membros do judiciário e parlamentares de Washington e Inglaterra, responsáveis pelo bloqueio de quarenta e cinco bilhões de dólares do Governo venezuelano, preveem um golpe de Estado. Constituem-se em um flagrante crime de lesa humanidade, já que cumprem metas espúrias que se somam aos boicotes feitos por empresários e opositores da Revolução Bolivariana, visando provocar danos sistemáticos no funcionamento da política de bem estar social do Governo como, por exemplo, a compra de medicamentos e alimentos distribuídos entre os mais pobres.

Além dos danos causados ao Povo venezuelano, as mencionadas ações golpistas, ameaçam todas as democracias do Continente e podem mudar os rumos das relações dos EUA e Inglaterra com a China e a Rússia. A truculência é tanta que o vice-Presidente dos EUA Mike Pence, chegou a propor o congelamento de ativos da petroleira estatal PDVSA, a suspensão da compra de petróleo da Venezuela, bem como a transferência de bens do Presidente Nicolás Maduro, para o príncipe dos mercenários, o auto proclamado presidente Juan Guaidó.

Tais ações de sufocamento, já haviam ficado evidentes nas conclusões do advogado americano Alfred Zayas, que é o relator especial da ONU para a promoção de uma ordem internacional democrática e justa que garantiu após viajar por dez meses no País (2917/2018), que não há crise humanitária na Venezuela, o que contribui com a proposta de condenação dos Estados Unidos da América e da Inglaterra, por crime de lesa humanidade. As ações de boicote foram "(...) cuidadosamente calibradas para privar o regime do Presidente Nicolás Maduro de uma fonte essencial de financiamento". As causas fazem parte de uma "(...) guerra econômica asfixiante," concluiu Zayas.

A resistência cívico militar da Venezuela frustrou o plano camuflado por trás da cortina de fumaça midiática denominada "ajuda humanitária," de cooptar venezuelanos com base em mentiras repetidas, para facilitar a invasão do País usando mercenários treinados por militares colombianos e americanos (23). Ao que tudo indica, a primeira fase do plano de desestabilização do Governo de Maduro, visando o controle de todas as fontes de energia do Continente, para que os EUA possa se impor no controle da maior reserva de petróleo do planeta, em meio ao sólido crescimento da China e da Rússia.

O papel do Governo do Brasil nas ações de asfixia

Em meio aos pacotes de alimentos e medicamentos da suposta "ajuda humanitária" estadunidense, haviam rolos de arame farpado e caixas de pregos, para construção de barricadas, de acordo com informação publicada na Revista Carta Capital, o que confirma a denúncia do representante do governo nacional venezuelano no estado de Táchira, na divisa com a Colômbia, Freddy Bernal, feita à repórter Fania Rodrigues e publicada no site Diálogos do Sul: a suposta ajuda humanitária é um "Cavalo de Tróia".

Diante de tais fatos a conclusão do Governo do Brasil não poderia ser mais óbvia: o golpe de Estado na Venezuela só ocorrerá se oficiais com voz entre os militares fiéis a Revolução Bolivariana, forem cooptados, o que indica qual vem sendo o papel da "força tarefa brasileira" sob as ordens do Comando Sul dos Estados Unidos.

O vice-presidente do Brasil, General Mourão, disse que é fundamental a continuidade da "(...) pressão diplomática e econômica para derrubar Maduro" e revelou que: "(...) a gente tem que buscar um diálogo com alguém que fale pelas Forças Armadas, a gente tinha que abrir um canal de diálogo com as forças armadas venezuelana".

Após um golpe de Estado sempre vem uma ditadura. As ditaduras são desumanas e cruéis com os povos. Quando uma ditadura se inicia, não se sabe quando vai terminar, se é que um dia termina. Diante dos aterradores fatos ocorridos no Brasil, dirigimos nosso aperto de mão ao preso político Luiz Inácio Lula da Silva.

---
*André Moreau, é Professor, Jornalista, Cineasta, Coordenador-Geral da Pastoral de Inclusão dos "D" Eficientes nas Artes (Pastoral IDEA), Diretor do IDEA, Programa de TV transmitido pela Unitevê – Canal Universitário de Niterói e Coordenador da Chapa Villa-Lobos – ABI – Associação Brasileira de Imprensa, arbitrariamente impedida de concorrer à direção da ABI nas eleições de 2016-2019 jornalabi.blogspot.com