5.4.19

TCHUTCHUCA E A GUERRA HÍBRIDA

PEDRO AUGUSTO PINHO -


Na juventude me encantei com o dramaturgo romeno Eugene Ionesco (1909-1994) e seu teatro do absurdo. Ele descreveu o tragicômico da nossa existência, com humor, em um clima obsessivo e crítico das convenções sociais.

Ao assistir a reunião da Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJC), da Câmara dos Deputados, com o Posto Ipiranga do candidato Jair Bolsonaro, hoje o ministro da Economia, Paulo Guedes, veio-me a mente o teatro de Ionesco, mas, lamentavelmente, numa encenação da guerra híbrida que se instalou entre nós.

Leia mais em POLÍTICA